Ronda dos Quatro Caminhos

A Ronda dos Quatro Caminhos comemora em breve 30 anos de existência durante os quais trabalhou na divulgação e recuperação da Música Tradicional Portuguesa, realizou centenas de concertos em Portugal e noutros paises – Brasil, Canadá, Espanha, Itália, Bélgica, França, Holanda, Cabo Verde, Macau – e editou 12 discos e um DVD.

Ronda dos Quatro Caminhos – Águia
Ronda dos Quatro Caminhos – Limoeiro

Embora numa linha de profundo respeito pelas características essenciais e pela especificidade de cada região, o grupo envereda desde o início não pela simples reprodução das canções populares mas antes por um trabalho de recriação. É nesta perspectiva que surge em 1984 o primeiro LP Ronda dos Quatro Caminhos, editado pela Arion (França) em vários países europeus.

Em 1985, o disco Cantigas do Sete Estrelo vem na sequência e na linha do primeiro trabalho, e os espectáculos são já uma constante na vida do grupo. No Natal do mesmo ano é editado Canções Tradicionais Infantis, com a colaboração da palhaça Tété e do actor Mário Viegas, com o objectivo de dar a conhecer aos mais novos a música tradicional portuguesa.

Entre 1986 e 1991, a Ronda lança quatro discos: 1986 – Amores de Maio,
1987- Fados Velhos, 1989 – O Melhor da Ronda, 1991 – Romarias
Em Fevereiro de 1993, o grupo comemora dez anos de carreira e apresenta Uma Noite de Música Tradicional em concerto único no Teatro Municipal de S. Luís, em Lisboa. Para além do êxito que obteve resultou no oitavo disco do grupo e no seu primeiro registo ao vivo.
Em 1997, surge Recantos, gravado em Lisboa e misturado em Madrid, o grupo envereda agora por uma sonoridade mais urbana e conceptual.
Em 1999, Outras Terras vem reflectir alguns aromas e sonoridades de tantas viagens.
Em Novembro de 2000, no teatro Garcia de Resende em Évora, o grupo gravou em duas noites memoráveis (uma vez mais ao vivo) o seu primeiro CD duplo – Alçude.

Em 2003 e após dois anos e meio de trabalho a Ocarina editou o trabalho mais ousado da Ronda dos Quatro Caminhos – Terra de Abrigo – um disco dedicado exclusivament ao “cante” alentejano, juntando pela primeira vez em Portugal, uma orquestra sinfónica a coros polifónicos tradicionais do Alentejo. Este trabalho, que pretendeu também estabelecer pontes entre o Alentejo de hoje e o Al-Andaluz de há 800 anos, contou com a participação da Orquestra Sinfónica de Córdoba, oito coros do alentejo, Amina Alaoui (Marrocos – Voz), Esperanza Fernandez (Espanha – Voz), José António Rodriguez (Espanha – Guitarra), Katia Guerreiro(Voz) e Pedro Caldeira Cabral (Viola Campaniça). “”Terra de Abrigo” foi editado pela Ocarina em 2003, tendo obtido o galardão de ‘Disco de Prata’ e foi considerado o “melhor disco do ano” pela crítica especializada portuguesa.

Em 24 de Janeiro de 2004, Terra de Abrigo foi apresentado em dois concertos no Centro Cultural de Belém, cuja gravação em vídeo deu origem a um DVD com o mesmo nome. Dois concertos memoráveis que contaram com 130 elementos em palco (Ronda, Orquestra, coros do Alentejo e convidados).

Em 2008 a Ronda dos Quatro Caminhos regressa com Sulitânia. Um trabalho que nasceu sob encomenda, integrada no projecto 3 Culturas, um programa de difusão cultural em rede partilhado pelas câmaras municipais de Évora, Idanha-a-Nova e Mértola com o apoio da União Europeia através do Programa Operacional da Cultura (POC). Trata-se de um trabalho que cruza as tradições musicais da Beira Baixa e do Alentejo com a tradição da música erudita. À Ronda dos Quatro Caminhos, junta-se o grupo das Adufeiras do Monsanto, o Coral Guadiana de Mértola e ao Coro Polifónico Eborae Musica. A este elenco, somaram-se depois as participações especiais do quarteto de cordas Opus 4 e dos Cantares de Évora.